• A TRIPARTIÇÃO DA ALMA:

    Por: João Arruda “Entre mim mesmo e mim Não sei que se levantou, Que tão meu imigo sou.” Camões. O que falar deste misto de desejos imperiosos que parecem fazer tracção de corda, que puxam e repuxam medindo a força e a resistência destes que parecem serem e não serem eu e minha vontade; que

  • AS QUATRO CAUSAS ARISTOTÉLICAS:

    Por: Juliana Vannucchi e Paulo Pedroso  As “quatro causas” encontram-se presentes em um conjunto de escritos de Aristóteles, intitulados pelo filósofo grego de “Filosofia Primeira”, que posteriormente, após ter sido organizado por Andrônico de Rodes, ficou conhecido como “Metafísica”.      Nesta obra, Aristóteles empenhou-se especialmente em investigar “o ser enquanto ser“, ou seja, o ente em

  • O DESESPERO HUMANO:

    Por: João Arruda Quem há que não tenha dúvidas? Poucas ou muitas, não há quem não as tenha. Tenho somente escrito e pensado em tom interrogativo, pois é somente isso que tenho conseguido: ter dúvidas. Sou rodeado por elas, mas não as deixo serem findadas rapidamente, as deixo como companheiras que me martelam deveras. Não

  • DEFESA DE SÓCRATES – PLATÃO:

    Por: Juliana Vannucchi   Sócrates (469 a.C-399 a.C) foi um dos maiores filósofos da história do pensamento ocidental, e até hoje seu legado é amplamente estudado e discutido dentro e fora do meio acadêmico. O pensador grego, no entanto, não escreveu nenhum livro, e o que se conhece a respeito de sua vida e filosofia

  • ARISTÓTELES:

    Por: João Arruda   Se a característica essencial do homem é a racionalidade, qual seria o meio para a felicidade, senão o aperfeiçoamento desta característica? Aristóteles nos diz que o homem que deseja viver bem, deve viver sempre segundo a razão. Entretanto, ele não é apenas razão, e possui em si algo de alheio a

  • QUEM FOI SÓCRATES?

    Por: João Arruda Ao estudarmos filosofia antiga é injusto não estudarmos Sócrates, pois foi grande o impacto causado por sua presença em Atenas. Tão injusto, também é que ao querer remontar a imagem de Sócrates, deparamo-nos com diferentes personagens criadas por seus discípulos e contemporâneos, e ante as mesmas, surge a pergunta: O que há

  • A EDUCAÇÃO NA IDADE MÉDIA:

    Por: Celso Cristiano Pinto e Juliana Vannucchi    Relatar fatos da idade média requer cuidados com as observações, pois ela é tão extensa e difícil de caracterizar que há o risco de simplificá-la a apenas um tempo de períodos iguais. A idade média abrange mil anos de história, da queda do Império Romano (476) à

  • CETICISMO:

    Por: Juliana Vannucchi  O Ceticismo é uma doutrina filosófica, surgida na Grécia em IV a.C, durante o período helenístico. A primeira escola cética foi fundada por Pirro de Élis (365/60-275/70 a.C) e a inspiração do filósofo para criá-la teria se originado de uma série de viagens feitas ao lado de Alexandre, o Grande, nas quais

  • PITÁGORAS DE SAMOS:

    Por: Juliana Vannucchi “Você sabe ou já se perguntou como surgiu palavra “filosofia”? Sua origem costuma ser atribuída a Pitágoras. Conta-se, que, certa vez, ele fora abordado pelo príncipe Leonte, que lhe perguntou qual seria a natureza de sua sabedoria e, obtive a seguinte resposta para tal indagação: “Sou somente um filósofo” (do grego “philo”

  • AMOR FATI: Um convite para amar o mundo como ele é:

    Por: Juliana Vannucchi e Alessandro Olivieri     O Amor Fati (cuja tradução do latim pode ser compreendida como “amor ao destino”) é um dos principais conceitos que compõe a vasta e rica filosofia de Friedrich Nietzsche. Não há uma obra em particular na qual o pensador alemão discorra especificamente sobre este assunto, mas a expressão