FILME: “O ESTADO DO CÃO”:

By Acervo Filosófico

por Carmo Graziosi

O Estado do Cão (Nokhoin Oron, 1998, Mongólia). Direção: Peter Brosens, Dorjkhandyn Turmunkh. Elenco: Nyam Dagyrantz, Banzar Damchaa, Baatar Galsanukh. Gênero: Documentário. Duração: 91 min.

O Estado do Cão é um filme no mínimo curioso. Trata-se de um documentário sobre a Mongólia, que mostra a vida cotidiana naquele país, a transição do comunismo para o capitalismo, as lendas populares, a religiosidade e as manifestações artísticas. O que o torna único é que tudo é mostrado sob o ponto de vista de um cão, cuja história é contada ao longo do filme.

Basar é um cão de rua que vive na capital da Mongólia. Devido à superpopulação de cães sem dono, a prefeitura contrata um caçador para eliminá-los. Basar é morto por esse caçador, e sua alma se separa de seu corpo. O povo mongol acredita que os cães, ao morrerem, renascem como seres humanos. De fato, a partir desse momento a alma de Basar começa a vagar pela cidade, enquanto aguarda a decomposição de seu corpo.

Durante esse passeio, a alma de Basar começa a se recordar de sua infância, quando ele pertencia a uma família nômade que vivia na estepe. Ele tomava conta do rebanho e participava dos festejos populares. Mas um dia, seu dono vendeu tudo e foi embora, abandonando-o. Desesperado, o cão correu enquanto pôde, até chegar à cidade, onde se tornou um cão de rua. Lá ninguém o queria por perto, pois tinham medo de que ele lhes transmitisse alguma doença. Basar passou fome e foi agredido, até que seu medo de chutes e pedradas se tornou maior do que o seu desejo por companhia. Aprendeu que, onde havia comida, havia perigo; e onde havia gente, havia comida.

Um dia, sem saber como, Basar pensou numa moça grávida, cuja família viera da estepe para a cidade, e afeiçoou-se a ela. Ao mesmo tempo, ele sabia que lhe restava pouco tempo de liberdade, e em breve deveria voltar para o mundo dos vivos. Enquanto seu antigo corpo de desintegrava no lixão, um novo corpo se formava, no qual sua alma poderia residir…

 Category: INDICAÇÕES

Related articles

Leave a Reply