KCS 8579 – BOB DYLAN:

By Acervo Filosófico

Pedro Bracciali

Tenho o primeiro disco de Bob Dylan, mas não a primeira edição. A foto que se vê, traz o catálogo ‘KCS 8579’ o que indica que pode ser a re-edição americana de 1965. O primeiro foi lançado em 1962. Mais tarde, sobre esse trabalho, Dylan comentou que seu diferencial era tocar as canções folk com espírito de rock’n’roll.

image1

O disco é impressionantemente cru. Uma guitarra em cordas de aço, a gaita e uma voz de ‘cola com areia’: ‘like sand and glue’, como David Bowie o descreveria na canção ‘Song for Bob Dylan’ de 1971. (Enquanto Dylan abre o segundo verso de uma das canções desse álbum ‘Song to Woody, com ‘Hey, hey, Woody Guthrie, I wrote you a song,’ Bowie diz, ‘Hear this, Robert Zimmerman, I wrote a song for you.’

Mas a aspereza não está só na voz de cola com areia, há um pouco disso também na alma e no ímpeto de ir em frente, na estrada, sempre à procura de um outro abrigo – característico da geração dos anos 60′. ‘Alguém’ o descobriu tocado nos bares da Greenwich Village, povoada na época por beatniks. Poetas, músicos, nascem nesses ambientes, junto ao balcão de bebidas e amores fortuitos… não nascem músicos nem poetas, primeiro deixam-se viver nesses lugares, perdem a inocência, a virgindade, tudo por um sonho de poder cantar seus poemas, seus lamentos, e essas coisas pelas quais faz a vida valer a pena ser vivida. Ele era mesmo capaz de fazer alguém, ao ouvi-lo, sentir alguma coisa grandiosa. Dylan carregava consigo um violão e a inspiração em seus ídolos: Dylan, provavelmente, de Dylan Thomas, poeta Inglês do início do século XX, um alterego para seu verdadeiro nome, Robert Zimmerman.

Nesse primeiro disco não há engenharia, é Dylan por Dylan mesmo, – essa é uma marca que iria perdurar, ele desenvolveu seu trabalho quase sempre sozinho, por seu próprio gosto e interesse particular. As faixas nessa gravação possuem altura diferente de som, sua voz é um esforço a todo momento – sua opção é por letras narrativas, lamentos, como na canção ‘The house of rising sun’ . (Alguém, desconhecendo, pode achar que ele escolheu essa canção por ser um sucesso, mas na época era desconhecida, assim como um completo desconhecido, quem a compôs). É a história de uma prostituta de News Orleans, e Dylan canta por ela, canta como se fosse ela: é assim que ele aprendeu a se colocar no lugar de outra pessoa em suas próprias canções. O disco vendeu pouco no seu lançamento, 5.000 unidades, mas era o protótipo do que veria a seguir… Nesta quinta-feira agitada, Dylan é laureado pelo prêmio Nobel de Literatura 2016.

 Category: ESPECIAIS

Leave a Reply