BENTO DE ESPINOSA:

By Acervo Filosófico

por Carmo Graziosi

Bento de Espinosa, também conhecido como Baruch Spinoza ou Benedictus de Spinoza, foi um filósofo judeu holandês de origem portuguesa. Nasceu em Amsterdã em 1632, de uma rica família que havia migrado de Portugal para a Holanda para fugir da Inquisição. Na escola da comunidade judaica aprendeu o hebraico e estudou a Torá, o Talmude e a filosofia judaica (especialmente Maimônides). De 1652 a 1656 frequentou a escola do livre-pensador Franciscus van den Enden, onde estudou latim e ciências. Espinosa construiu seu pensamento lendo autores clássicos (como Cícero e Sêneca), renascentistas e modernos (como Descartes, Francis Bacon e Hobbes). Além disso, entrou em contato com movimentos cristãos dissidentes, distanciando-se cada vez mais do judaísmo, mas sem aderir ao cristianismo.

Com a morte de seu pai em 1654, Espinosa sentiu-se mais à vontade para defender suas idéias perante a comunidade judaica e, como já era de se esperar, entrou em confronto com os doutores da Sinagoga. Um judeu fanático tentou matá-lo com um punhal, mas o filósofo logrou esquivar-se da investida, e guardou de lembrança a capa rasgada. Como ninguém conseguia dissuadir Espinosa de suas convicções, ele acabou sendo excomungado e expulso da Sinagoga em 1656. Considerado herege, até mesmo seus parentes o abandonaram. A irmã do filósofo tentou deserdá-lo, mas Espinosa processou-a e ganhou a causa, renunciando em seguida à herança (alegou que seu objetivo não era tomar posse de seu quinhão hereditário, mas apenas defender seu direito).

Em 1660 Espinosa mudou-se para o interior e viveu em várias cidades, ganhando a vida como polidor de lentes e morando em quartos de aluguel. Seu estilo de vida era tão frugal, que o único luxo que se permitia era ter livros em casa. Foi nessa época que ele escreveu “Princípios da Filosofia Cartesiana” (1663). Em Voorburg o filósofo conheceu Jan de Witt, opositor político da Casa de Orange, que o inspirou a escrever o “Tratado Teológico-Político” (1670), obra que seria condenada pela Igreja Reformada em 1673. Em Haia, Espinosa começou a escrever sua principal obra – a “Ética demonstrada segundo o Método Geométrico” – que não chegou a publicar em vida por receio de novas perseguições. Em 1672, Espinosa participou de uma missão diplomática ao exército francês invasor, mas ao regressar quase foi morto pela população, sob suspeita de espionagem. Em 1673 o Príncipe Eleitor do Palatinado ofereceu-lhe uma cátedra universitária em Heidelberg, mas o filósofo recusou-a, temendo que a aceitação de uma posição oficial como aquela pudesse limitar a sua liberdade de pensamento.

Apesar de seu isolamento, Espinosa teve amigos e admiradores, alguns deles ricos e poderosos, com cuja proteção podia contar. Morreu de tuberculose em 1677, com apenas 44 anos, após publicar o “Tratado sobre a Reforma do Entendimento”.

 Category: BIOGRAFIAS

Related articles

Leave a Reply